Wednesday, February 20, 2008

Novas sobre os tremores de terra em Sobral

Desde 28 de janeiro, quando a população da zona norte começou a sentir constantes tremores de terra, até ontem, a Estação Sismográfica de Sobral registrou nada menos que 46 pequenos terremotos, sendo a magnitude mais forte registrada sábado, por volta das 23 horas, de 3.5 na Escala Richter. Somente ontem, foram oito tremores.

De acordo com técnicos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que estão em Sobral analisando a situação, juntamente com técnicos da Defesa Civil, o epicentro dos tremores está localizado entre a Serra do Jordão e a cidade de Alcântaras.

"Coletamos dados da Estação de prefixo SBBR, que faz parte do Projeto Milênio, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), onde a UFRN assumiu a parte dos estudos de sismologia no Nordeste. Localizamos a região do epicentro e ela fica a 22 quilômetros a noroeste da Estação de Sobral, entre Jordão e Alcântaras", explicou Eduardo Menezes, técnico em sismologia desta Universidade.

Causa

"Temos conhecimento de que os tremores provocados nessa região são movimentos de rochas no subsolo bastante profundos, para o que se conhece de Nordeste, chegam a 10, 12 quilômetros de profundidade. Pelos primeiros dados que podemos ver são atividades interessantes. Entre os dias 17 e 18 de fevereiro foram registrados, aproximadamente, 25 eventos", relatou Menezes.

Além da visita dos especialistas, o Corpo de Bombeiros mobilizou 27 cadetes para darem assistência às cidades mais atingidas pelos abalos sísmicos, distribuindo panfletos e tentando tranqüilizar a população, explicando que tremores de terra são fenômenos naturais. A Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Sobral também informou que disponibilizará verbas para recuperar rachaduras de casas danificadas pelos abalos sísmicos.

"A Estação de Sobral está funcionando desde outubro de 2007, fazendo registros locais, mas ainda não tínhamos acesso porque o link de internet ainda não estava instalado. Agora poderemos monitorar toda atividade que ocorre nessa região", explicou o mestrando em Geofísica, com especialidade em Sismologia, Heleno Carlos.

O técnico da UFRN, Eduardo Menezes, explicou que a Estação de Sobral possui sensor de banda larga, com vários espectros de sinal, sendo possível, dessa forma, precisar a direção exata de onde estão se originando os eventos.

"Essa região é propícia a esse tipo de fenômeno. Esses não foram os primeiros nem serão os últimos. Essa região sempre demonstrou atividade e a questão de aumentar ou não é complexa, porque estamos lidando com natureza. Em nenhuma parte do planeta é possível fazer previsão de tremor de terra. Nós, que estudamos, um dia, talvez, possamos prever, pelo menos com antecedência, eventos dessa natureza. Mas hoje não se tem essa resposta. Todos gostariam de ter, inclusive nós", disse Menezes.

Colaboração
Natercia Rocha

No comments: